A influência das estações na saúde 

  • Matheus Macedo
  • FOTOGRAFIA: Shelley Pauls | Unsplash

Qual é a receita certa para ter mais saúde em todas as estações do ano? Saiba como adaptar sua dieta e rotina para ter mais disposição e energia em qualquer condição climática. 

Setembro é um mês de mudança de estação. No Brasil, é quando deixamos o inverno e entramos na primavera. Nessa transição é muito comum surgirem dúvidas sobre mudanças de dieta, de rotina e como se adaptar. Portanto, hoje vamos falar sobre como as estações do ano influenciam o dia a dia das pessoas e o que fazer para se manter saudável em diferentes climas.

Para começar, vamos lembrar que o corpo humano é um sistema complexo, aberto e adaptativo. Isso significa que ele está o tempo todo interagindo com o ambiente a sua volta, tentando se adaptar a ele. Por exemplo, quando está mais quente transpiramos mais, certo? Isso ajuda a resfriar o corpo. Em dias muito secos, sentimos mais sede, não é? Este impulso nos leva a beber mais água.

Na linguagem ayurvédica, analisamos as associações entre o ambiente e os princípios fisiológicos do corpo (doshas) por meio das características (gunas) de ambos. 

Como o clima afeta a nossa saúde 

Tomemos o Vata dosha como exemplo. Sabemos que o Vata é seco e frio, além de possuir outras características. Portanto, se uma pessoa, por algum motivo, já está com o Vata aumentado, a tendência é que esse dosha se agrave ainda mais com a chegada de uma estação também seca e fria. Dor abdominal, constipação, fraqueza, emagrecimento, tontura, ansiedade e perda do sono são alguns problemas que podem surgir em decorrência do Vata dosha agravado.

Por outro lado, uma estação quente e úmida tende a equilibrar o Vata, caso ele esteja um pouco aumentado. É bem provável que essa mesma pessoa do exemplo acima se sinta melhor nesse tipo de clima.

É importante ter clareza que os ensinamentos ayurvédicos indicam certos paradigmas para compreendermos a realidade complexa da vida. Uma vez entendida a lógica ayurvédica, podemos prever como o clima pode afetar nossa saúde e então adequar os hábitos e as rotinas diárias de cuidados com o corpo.

Seguindo essa lógica, o Ayurveda nos oferece exemplos de como o corpo pode funcionar de acordo com o lugar onde se vive. Mas não devemos nos agarrar a esses exemplos e utilizá-los cegamente como dogmas, ok? Não há nenhuma recomendação que seja boa para todo mundo, o tempo todo.

estações

Crédito: Tunafish | Unsplash

Auto-observação

A melhor maneira de lidar com as variações climáticas é com presença. Observe-se. Como o seu corpo está agora diante do clima em que você está? Repare que me referi ao clima em que você realmente está e não ao nome da estação.

O nome “primavera”, por exemplo, não representa as mesmas condições climáticas em todos os lugares. A primavera de Maceió, de Porto Alegre, da Austrália, do Canadá, ou do sul da Índia são diferentes entre si. E ainda que estivéssemos falando do mesmo contexto geográfico, existem também as especificidades de cada ser humano, que não podem ser desconsideradas. Por isso, não faz muito sentido recomendar uma lista específica com aquilo que se deve comer ou beber na primavera. 

Dessa forma, é preciso entender como é a estação do lugar em que você vive e como você está se sentindo nesse ambiente (corpo e mente). Eu, por exemplo, tenho um corpo mais úmido. Apesar de ser carioca e ter vivido a maior parte da minha vida no Rio de Janeiro, que é quente e úmido, sinto que meu corpo não funciona muito bem lá. Já quando vou para um lugar mais seco, fico com outra disposição física, me sinto bem melhor. Mas talvez esse não seja o seu caso. 

Como as estações do ano influenciam as atividades humanas

Como já expliquei em outros artigos desta coluna, o Ayurveda não pressupõe que você more na Índia, viva as estações daquele país ou siga os costumes indianos. O Ayurveda pressupõe que você seja simplesmente você mesmo, em harmonia com o ambiente em que vive. 

Os grandes líderes espirituais da história estavam totalmente conectados consigo mesmos e com o lugar onde viviam. Buda certamente não estava tentando seguir uma dieta mediterrânea, ou importando sal rosa do Himalaia para usar na sua comida.

Quando contei para a Dra. Savithri, uma das minhas grandes mentoras de Ayurveda lá do sul da Índia, que eu estava criando o Vida Veda e tinha o intuito de começar a divulgar os conhecimentos ayurvédicos no Brasil, ela me fez um alerta muito importante. Ela orientou que eu não deveria carregar cegamente o Ayurveda que aprendi na Índia para o Brasil. Seria preciso considerar o contexto brasileiro, entender as características de seu ambiente e da sua cultura. Seria preciso entender o que é Ayurveda brasileira de verdade.

estações

Crédito: Brooke Lark | Unsplash

Ayurveda não é algo que se transporta, é algo que se reconhece. Em outras palavras, Ayurveda é um retorno a nossa própria natureza, a nossa conexão com o meio que habitamos e não a importação de uma cultura ou hábitos estrangeiros. 

De qualquer forma, é consenso no Ayurveda que a boa capacidade digestiva é um dos pontos centrais para manter a saúde. De acordo com os textos clássicos, é no frio do inverno que chegamos ao ápice da nossa energia e capacidade digestiva. 

Assim, na primavera o corpo começa aos poucos a perder potência e poder digestivo. Portanto, de maneira geral, recomendo que se deixe de lado as comidas mais pesadas e gordurosas do inverno e se dê preferência para os alimentos mais leves.  

Vá à feira

Falando um pouco mais sobre a alimentação, a forma mais simples de perceber quais alimentos são os mais adequados para a estação do momento é ir a uma feira livre. Note quais são as frutas, verduras e legumes mais abundantes, mais disponíveis e dê preferência a eles. 

Em vez de ir ao supermercado com uma lista de itens predefinidos, vá à feira e deixe que a própria sazonalidade dos vegetais guie suas escolhas alimentares. Além de mais saudável, você ainda vai gastar menos, já que os produtos da época costumam ser mais baratos.

Talvez você nunca tenha reparado, mas nas estações mais quentes há maior disponibilidade de frutas mais ricas em água, como abacaxi, melancia… que são ótimas para hidratar o corpo. Já as estações frias coincidem com a maior disponibilidade de frutas ricas em vitamina C, como limão e tangerina, que fortalecem o sistema imunológico e previnem gripes e resfriados que são mais comuns nessa época.

Resumindo, aproveite a sazonalidade natural dos alimentos, além de se observar sempre, é claro. Você pode habitar o mundo de maneiras muito mais interessantes se você prestar atenção em si e no que está acontecendo a sua volta.

Um abraço e lembre-se sempre: SAÚDE É LIBERDADE!


MATHEUS MACÊDO é o primeiro brasileiro a se formar em medicina na Índia com especialidade em Ayurveda no curso BAMS (Bachelor in Ayurveda, Medicine and Surgery).  Viveu na Índia quase 7 anos e de lá criou a Vida Veda, uma empresa social dedicada a divulgar o conhecimento ayurvédico em língua portuguesa. Carioca, vive em Guimarães, Portugal, e percorre o mundo dando palestras sobre Ayurveda e Medicina Integrativa.

*Os textos de nossos colunistas são de inteira responsabilidade dos mesmos e não refletem, necessariamente, a opinião de Vida Simples.


POSTS RELACIONADOS

EDIÇÃO DO MÊS

Edição 236, outubro de 2021 COMPRAR

TAMBÉM QUERO COMENTAR

 

Campos obrigatórios*