A empresa dos sonhos

  • Luciana Pianaro

Há quase um ano, eu começava minha aventura na Vida Simples. Assumi legal e efetivamente toda a responsabilidade sobre a produção de conteúdo, impressão e entrega, redes sociais com milhares de seguidores,  muito descontentamento de assinantes, acervo histórico, finanças, entre outros tantos desafios. Bons ou difíceis, jamais ruins. Junto comigo, viriam outras três pessoas (hoje somos quinze!), que heroicamente mantiveram esta revista viva todos estes anos, a despeito de toda falta de recursos e dificuldades que o setor editorial enfrentou. E você, caro leitor, que sempre esteve ao nosso lado, valorizando todo o conteúdo que foi produzido nestes dezesseis anos de história da marca e tendo muita paciência durante a transição para esta editora independente.

Com a casa já em ordem, agora tenho me dedicado a definir os caminhos estratégicos que seguiremos e à forma como lidero. Se Vida Simples deseja com seus produtos inspirar pessoas para um bem maior, o seu ambiente de trabalho não poderia ser diferente. Aqui temos muita autonomia, liberdade, flexibilidade, alegria, cooperação, atitude empreendedora. Todos trabalhamos sabendo que nosso propósito maior é entregar algo transformador. Em todas as fases do processo. É lindo e inspirador tudo isso, mas não necessariamente fácil. Não estamos acostumados a ter ambientes corporativos onde as pessoas possam ser o que elas são de verdade, expressar suas opiniões mesmo que não sejam acatadas, que possam rir e chorar na mesma proporção (e ninguém julgar, ou achar que pessoa é mais fraca por isso), que possam informar no grupo que não vão para o escritório hoje pois precisam cuidar dos filhos, mas que vão entregar o prometido. Conseguimos construir este espaço por aqui.

O trabalho nos enobrece e nos dignifica. Mas, as pessoas sempre aspiram por algo a mais, por propósito e significado, por florescer e se realizar. Todos temos um talento interno, mas muitas vezes demoramos para encontrá-lo. Se o trabalho permitir que encontremos este espaço, teremos colaborado para uma parte deste bem maior.

Acredito que todos nós que somos líderes em um negócio, seja ele uma multinacional, um pequeno consultório, ou nossa própria marca,  temos que expandir nossa consciência para esta necessária transformação. Não podemos deixar de lado os resultados, lógico, que pagam as contas, mas não dá mais para viver em ambientes de alta performance apenas financeira, cheios de pressão, sem humanidade, sem compaixão pelo outro.  Que possamos usar nossa posição de líderes para propor novos formatos de trabalho, ter ambientes mais leves e flexíveis, menos egóicos, mais cooperativos, comunidades do bem e cheias de sentido, gerando resultados prósperos e sustentáveis para todos os envolvidos: acionistas, colaboradores, sociedade e planeta!

 

As ideias que inspiram meu jeito de conduzir a Vida Simples de uma forma mais consciente e humana:

Como escrevi no artigo da edição 210, em que conto sobre o estilo gerencial da Vida Simples, muito humanizado e flexível,  gostaria de compartilhar algumas das principais correntes de gestão e pensamento que me inspiram. Não significa que foram elas que determinaram meu jeito de gerenciar pessoas e conduzir os negócios (são mais de 20 anos de experiência!), mas, certamente, hoje em dia, elas ecoam muito forte dentro de mim e confirmam o caminho que optei seguir.

A fonte da descrição abaixo são os livros citados.

Gestão dos Negócios: Capitalismo Consciente e Sistema B

O capitalismo consciente é um movimento global para mudar a forma como os negócios são pensados e conduzidos. Milhares de empresas no mundo todo já foram influenciadas para trabalhar por um propósito evolutivo, muito além de apenas maximizarem os lucros. Há uma profunda intenção de tornar o mundo um lugar melhor e de trazer prosperidade para a humanidade.

O capitalismo consciente possui uma visão mais holística dos stakeholders, considerando basicamente como seis principais: clientes, empregados, fornecedores, investidores, sociedade e meio ambiente. Todos são importantes e a empresa verdadeiramente consciente enxerga uma rede de interdependência entre eles e gerencia o negócio para criar valor simultaneamente para todos. É uma empresa mais transparente e participativa com seus colaboradores.

O Sistema B oferece ferramentas concretas para que a empresa crie os benefícios para todos os stakeholders acima, permitindo que as empresas recebam um certificadas, mediante uma análise muito criteriosa de sua gestão. Posteriormente chamada Empresa B (do inglês “benefit”) estas empresas continuam suas trocas em uma comunidade muito participante, atuante e cada vez mais robusta. Nos Estados Unidos, o movimento das empresas B também atua para modificar aspectos da legislação que permite a adoção de cláusulas estatutárias envolvendo todos os stakeholders.

 

Gestão das pessoas: Organização Teal

Trabalhar com propósito vivo e claro, uma estrutura autogerida (sem chefes),  participativa e flexível, e um ambiente integral, ou seja, um lugar onde você pode ser você mesmo e deixar as máscaras de lado, são as principais características de um sistema organizacional Teal. É um sistema muito evoluído, e necessita de uma grande mudança na forma dos líderes conduzirem sua gestão de pessoas, e em algumas empresas, talvez a necessidade de mudanças nas práticas e estruturas organizacionais, bem como uma conscientização e novo olhar dos colaboradores a esta forma de gestão.

Muitas empresas conseguiram fazer isso e outras tantas estão a caminho já que é nítido que, da forma como as pessoas são geridas hoje em dia na maioria das organização, não mais funciona. Precisamos de ambientes mais humanos, saudáveis emocionalmente, sem disputas de poder e metas inatingíveis.

A Vida Simples acredita e pratica estes conceitos e está se estruturando para candidatar-se ao selo de empresa B em 2020. Seus processos de gestão de pessoas são totalmente descentralizados, sem chefes e colaborativa. Colaboradores em posições consideradas chave, tem participação nos resultados e na estrutura societária. E acima de tudo, trabalhamos em um ambiente muito feliz, sabendo que o que fazemos impacta positivamente a vida de milhares de pessoas.

 

Para saber mais sobre os temas:
CC Brasil
Sistema B
O Futuro das  Coisas

 

Livros
Todos os livros podem ser adquiridos no site da Editora Vôo, uma empresa B certificada: https://www.editoravoo.com.br

 

Capitalismo Consciente – Guia Prático
Ferramentas para transformar sua organização
Raj Sisodia
Timothy Henry
Thomas Eckschmidt

 

 

O Manual da Empresa B
Como Usar os Negócios como Força para o Bem
Ryan Honeyman

 

Reinventando as organizações
Um Guia para Criar Organizações Inspiradas no Próximo Estágio da Consciência Humana
Frederic Laloux

 

Luciana Pianaro é administradora e empresária. Em abril de 2018 comprou a marca Vida Simples e todo seu acervo para que a voz que ela havia construído desde 2002 não deixasse de existir. Seu instagram é @lucianapianaro

POSTS RELACIONADOS

EDIÇÃO DO MÊS

Edição 235, setembro de 2021 COMPRAR

COMENTÁRIOS

  • Isa Ferreira

    Que sonho! É trabalhar com verdade e autenticidade sem perder o comprometimento com os objetivos. Parabéns!

    Responder

  • TAMBÉM QUERO COMENTAR

     

    Campos obrigatórios*