5 Dicas da Ayurveda para tratar enxaqueca

  • Matheus Macedo
  • FOTOGRAFIA: Anthony Tran | Unsplash

Como prevenir e tratar enxaqueca de maneira natural? A chave é compreender suas causas e aos poucos alcançar a raiz do problema.

As enxaquecas estão presentes em 15% da população mundial. Só no Brasil, mais de 30 milhões de pessoas sofrem desse mal que afeta cerca de duas vezes mais mulheres do que homens, de acordo com a Sociedade Brasileira de Cefaleia. No caso das que menstruam, muitas ainda relatam sofrer com a enxaqueca menstrual, que geralmente afeta pacientes antes ou durante a menstruação.

Nesse sentido, alterações de humor como depressão e euforia, fadiga e desejo por determinados tipos de alimentos são alguns dos sintomas iniciais do quadro de enxaqueca. Depois dessa fase, que pode durar dias, seguem-se outras. Elas podem envolver alterações sensoriais (sensibilidade à luz, som e cheiro), náusea, vômito, constipação ou diarreia. Por fim,  as terríveis dores pulsantes em um dos lados da cabeça, que podem variar de intensidade.

Normalmente, as pessoas não dão muita atenção aos sinais iniciais da enxaqueca. Elas continuam fazendo as mesmas coisas, sem alterar em nada sua rotina. Assim, nem mesmo os hábitos que acham que poderiam estar causando o problema. É aí que o quadro evolui para a doença em si, com a manifestação de todos os sintomas típicos.

Neste artigo de hoje, eu vou chamar a atenção para hábitos, comportamentos e alimentos que podem tanto desencadear quanto tratar a enxaqueca. Assim, você terá mais chances de prevenir essa doença que causa tanto sofrimento.

5 Dicas da Ayurveda

Crédito: Ivan Aleksic | Unsplash

1 | Parar as causas da enxaqueca

Você pode até duvidar, mas é sim possível tratar enxaqueca naturalmente. Todos os casos de enxaqueca que eu tratei até hoje (isso mesmo, 100% dos casos!) só melhoraram ou se resolveram a partir de modificações na alimentação. Entretanto,  alimentação saudável não significa a mesma alimentação para todo mundo. É preciso entender quais alimentos determinado paciente precisa e o que ele está comendo e bebendo que pode estar causando ou agravando o problema.

Desde já, tem muito de experimentação no processo de investigação de quais alimentos melhoram ou pioram a enxaqueca. Dessa forma, é interessante retirar ou incluir determinados alimentos na dieta e observar como o corpo reage, percebendo quais são as intolerâncias alimentares.

Via de regra, existem certas comidas e bebidas que são muito relacionadas à enxaqueca. Por exemplo, os fermentados. Não é incomum que, a partir da sugestão de eliminação do consumo de vinho, muitos pacientes sintam melhora das crises. A mesma coisa acontece quando sugiro cortar lácteos como iogurte, queijo, entre outros.

Contudo, outro ponto que não posso deixar de mencionar que está muito relacionado à enxaqueca é o sono. Todos os meus pacientes relacionam noites mal dormidas com episódios de enxaqueca. Portanto, cuidar do seu pilar do sono é muito importante.

2 | Espreguice

Primeiramente, uma das causas frequentes de enxaqueca é a tensão e o estresse. Imagine passar o dia todo sentado, gerando tensão nos ombros e pescoço, e diminuindo o fluxo de sangue para a cabeça. Logo, temos aí um prato cheio para a chamada enxaqueca tensional.

Para esses casos, aqui vai uma dica de ouro: a cada 20 minutos (vale até usar um despertador), levante-se e dê uma boa espreguiçada. Estique bem os braços, depois gire um pouco o pescoço com cuidado, solte os ombros, vire o tronco para os lados e relaxe.

Por último, se você não sabe se a sua enxaqueca é tensional, não tem problema. Espreguiçar-se. Não custa nada e não tem nenhum efeito colateral adverso. Experimente.

5 Dicas da Ayurveda para tratar enxaqueca

Crédito: Benn Mcguinness | Unsplash

3 | Respire

Além da tensão e do estresse, 80% das cefaleias que eu vejo na minha prática clínica são decorrentes de problemas de má oxigenação. Você sabia que a maioria das pessoas usa cerca de um terço da sua capacidade pulmonar ao longo do dia?

Assim, aqui vai minha segunda dica de ouro de como tratar enxaqueca, que pode ser feita na sequência da anterior. Após espreguiçar, faça cinco respirações bem profundas. Procure expirar no dobro do tempo da inspiração. Por exemplo, se você gastar cinco segundos inspirando, solte o ar ao longo de dez segundos.

Por fim, fazer o controle da respiração. Chamado de pranayama pelas ciências védicas, pode ajudar muito na prevenção da enxaqueca.

4 | Medite

Você já ouviu falar de Goenka? Satya Goenka era um bem sucedido homem de negócios nascido em Myanmar (antiga Burma), quando aos 31 anos de idade, em 1955, começou a sentir fortes enxaquecas. Asssim, o problema se tornou crônico e ele vivia a base de analgésicos fortes, como a morfina, que não resolviam o problema.

Enfim, sua família tentou de tudo e chegou a buscar ajuda profissional em países como Japão e Inglaterra, sem sucesso. Entretanto, como último recurso, Goenka decidiu participar de um retiro de 10 dias de meditação. Depois de começar a meditar, sua enxaqueca desapareceu e nunca mais voltou. Como resultado, ele se aprofundou nos estudos e na prática da meditação, e, dessa forma,  se tornou um renomado professor da técnica conhecida como vipassana.

Igualmente, eu também já vi tratamentos de enxaqueca só com base em meditação. É claro que isso não significa que a meditação cure todos os tipos de enxaqueca. Mas é interessante saber que existem casos em que a prática de meditação pode ajudar no tratamento. Por fim, essa é outra dica de custo zero, que qualquer um pode experimentar. Inclusive, a Associação Vipassana do Brasil oferece retiros gratuitos dessa técnica de meditação.

No Vida Veda, oferecemos meditações guiadas gratuitamente, às 07h30 de segunda a sexta. Para participar, basta entrar no nosso canal do Telegram.

5 Dicas da Ayurveda para tratar enxaqueca

Crédito: Dominik Martin | Unsplash

O poder das ervas

Nesse sentido, outra orientação que eu costumo dar aos meus pacientes sobre como tratar enxaqueca é o uso do gengibre. Tanto o Ayurveda quanto as pesquisas modernas de medicina e nutrição apontam que o gengibre é um excelente anti-inflamatório e analgésico natural.

Vários estudos científicos compararam os efeitos de analgésicos alopáticos com os efeitos do gengibre e observaram que ambos apresentam resultados equivalentes. O Dr. Michael Greger do site nutritionfacts.org tem um vídeo ótimo que tem legendas em português sobre esse tema.

Do mesmo modo, além do gengibre, existem também outras ervas que podem ajudar no tratamento da enxaqueca. De maneira geral, todos os chás de sabor mais doce tendem a apaziguar o Vata Dosha e, consequentemente, podem amenizar os problemas de enxaqueca. Alcaçuz, coentro, jasmim e erva-doce são boas opções para isso.

Sem magia

Em resumo, apesar de eu ter mencionado algumas ervas que podem ajudar no tratamento da crise de enxaqueca, é muito importante entender que não existe um antídoto mágico para a dor de cabeça.

Apesar disso, muitos pacientes e alunos chegam para mim com o seguinte raciocínio: “Matheus, eu quero continuar comendo e bebendo de tudo, mas não quero sofrer as consequências de ingerir as substâncias que me fazem mal. Que remédio ou erva eu posso tomar como antídoto?“

Contudo, se você precisa colocar um antídoto em algo que você consome é porque o que você está consumindo não te faz bem. Lembre-se: o primeiro passo em direção a ter mais saúde é parar de fazer aquilo que te faz mal.

Espero ter te ajudado com essas dicas de hoje sobre como tratar enxaqueca. Também fiz alguns vídeos sobre o assunto, e te convido a assisti-los no canal do Vida Veda no YouTube.

Abraços e lembre-se sempre: SAÚDE É LIBERDADE!


MATHEUS MACÊDO é o primeiro brasileiro a se formar em medicina na Índia com especialidade em Ayurveda no curso BAMS (Bachelor in Ayurveda, Medicine and Surgery). Viveu na Índia quase 7 anos e de lá criou a Vida Veda, uma empresa social dedicada a divulgar o conhecimento ayurvédico em língua portuguesa. Carioca, vive em Guimarães, Portugal, e percorre o mundo dando palestras sobre Ayurveda e Medicina Integrativa.

*Os textos de nossos colunistas são de inteira responsabilidade dos mesmos e não refletem, necessariamente, a opinião de Vida Simples.


POSTS RELACIONADOS

EDIÇÃO DO MÊS

Edição 236, outubro de 2021 COMPRAR

TAMBÉM QUERO COMENTAR

 

Campos obrigatórios*