4 dicas para seguir o Ayurveda de verdade

  • Matheus Macedo
  • FOTOGRAFIA: Ersler | IStock

Hoje eu vou focar em quatro dicas práticas para que você possa melhorar os seus hábitos em direção a uma vida mais saudável. Afinal, estudar o Ayurveda é importante, mas colocar em prática o que você aprende é muito mais!

Como abordamos nos textos anteriores, ser ayurvédico não significa ser indiano ou hinduísta. Ser ayurvédico é estar conectado com a própria saúde e bem-estar, sem ignorar a saúde e o bem-estar dos outros seres a sua volta. Essa é a definição mais ampla de Ayurveda. É claro que também podemos falar sobre temas específicos do Ayurveda enquanto ciência médica que trata e previne doenças.

Aqui nesta coluna, já te contei um pouco sobre os doshas, falamos sobre dietas e detox, sobre o estabelecimento de rotinas saudáveis e mencionei alguns mitos e confusões que são muito comuns entre os iniciantes de Ayurveda. Com isso, fiz uma pequena introdução à essência do Ayurveda, destacando pontos fundamentais para você.

Agora, vamos a mais algumas dicas importantes de como seguir o Ayurveda na prática.

1. Auto-observação, o maior benefício do Ayurveda

Entretanto, se eu tivesse que te ensinar uma única coisa sobre como seguir o Ayurveda, seria a seguinte: presença. Nesse sentido, a auto-observação é o primeiro ato que você deve colocar em prática ao acordar e um hábito que precisa ser repetido muitas vezes ao longo do dia.

Nos acostumamos a fazer tudo no automático. Na maioria das vezes não paramos para prestar atenção na fome, no sono, na ansiedade, na maneira como mexemos o corpo, ou como a mente opera. Essa desconexão com o corpo e com o ambiente traz péssimas consequências para a saúde.

Um exemplo disso são as doenças crônicas, um dos maiores problemas de saúde pública do Brasil e do mundo. De acordo com as estatísticas, só no Brasil, mais da metade das pessoas com mais de 18 anos já receberam o diagnóstico de pelo menos uma doença crônica nesses últimos anos, segundo o IBGE. Essas doenças, na maioria das vezes, têm a ver com estilo de vida e elas só se estabelecem porque ignoramos os vários sinais que o corpo dá, mostrando que algo não está indo bem.

Por isso, presença e auto-observação são minhas primeiras dicas sobre como seguir o Ayurveda

2. Comer de acordo com a fome

Se você parar para pensar, as doenças que mais matam hoje em dia (doenças cardiovasculares, diabetes e câncer) são todas doenças de excesso.

Não é à toa que o Ayurveda recomenda que uma pessoa saudável deve comer duas vezes por dia, com um intervalo de cinco a seis horas entre as refeições. Já uma pessoa doente deveria comer menos ainda, uma vez por dia. Isso porque o processo digestivo é complexo e demanda muita energia para acontecer. Do ponto de vista ayurvédico, não faz sentido exigir que um corpo doente se esforce tanto, ainda que seja para digerir comida.

ayurveda

Crédito: Lior Shapira | Unsplash

Se você estiver achando essas recomendações muito exageradas, basta olhar para outros animais que você vai entender o que estou falando. Quem tem um animalzinho de estimação sabe como ele se comporta quando está doente. Via de regra, eles se recolhem e não querem comer nada, não é assim? Claro, um corpo doente tem mais dificuldade mesmo para digerir.

Por fim, não adianta comer forçado para ficar mais forte. Não é assim que o corpo funciona. É preciso respeitar a sua fome, que é o impulso fisiológico específico que indica que o seu corpo está pronto para receber comida.

3. Dê ao corpo o que ele precisa

Hoje em dia é muito comum as pessoas fazerem várias refeições por dia. Como o Ayurveda está sempre evoluindo, eu adaptei a recomendação clássica ayurvédica e indico até três refeições por dia para pessoas saudáveis — café da manhã, almoço e jantar.

Porém, de maneira nenhuma você deve comer cinco, seis vezes por dia, ou a cada duas horas. Comer com essa frequência gera uma sobrecarga para o corpo, além de muitas toxinas, como já falamos no texto sobre detox. Prestar mais atenção no próprio corpo e respeitar a sua fome é muito mais saudável do que seguir a orientação de outra pessoa sobre o quanto você deveria comer.

Vontade ou fome?

Gosto também de lembrar meus pacientes e alunos que “fome de…” não é fome de verdade, é vontade. Ninguém sente fome de pizza ou fome de brigadeiro. A fome de verdade não é seletiva a esse ponto. Se você está comendo por qualquer razão que não seja a fome, você deveria parar e observar qual é o verdadeiro motivo que está levando você a colocar um alimento na boca.

Se está comendo por ansiedade, tédio, tristeza, ou por uma norma social (por exemplo, confraternização), perceba que comer não é a melhor forma de resolver nenhuma dessas questões. Dê ao seu corpo o que ele realmente precisa. Se estiver ansioso ou estressado, procure descansar, atente-se ao presente, faça atividade física… Se estiver entediado ou triste, faça algo divertido. Você não precisa aumentar o consumo de calorias para equilibrar os seus sentimentos. 

4. Seu quarto deve ser um templo do sono

No último artigo eu falei bastante sobre rotina noturna. A ideia não é me repetir, mas para começar eu gostaria de te lembrar da importância do sonoÉ durante o sono que consolidamos memória, geramos tecido muscular, fortalecemos nosso sistema imunológico, dentre vários outros aspectos cruciais para a saúde. É por isso que, para o Ayurveda, o sono é um dos pilares da saúde.

Por fim, além de cuidar da higiene do sono, como eu te ensinei no artigo passado, uma outra dica prática que eu costumo dar é como preparar o seu ambiente de dormir. Assim, o seu quarto deve ser um verdadeiro templo do sono. Isso significa que ele deve ser o mais escuro e silencioso possível. Nada que possa atrapalhar o seu sono deveria fazer parte desse ambiente.

4 dicas

Crédito: AndaluciaA Andaluia | Unsplash

Ter uma televisão no quarto, dividir a cama com gato, cachorro, ou até mesmo um companheiro que ronca ou se mexe muito, certamente irá prejudicar o seu sono. Se a tua própria saúde é uma prioridade para você (e eu entendo que deveria ser), você precisa prezar por tudo aquilo que te faz bem. No caso do sono, isso inclui criar o ambiente mais propício possível para dormir.

Ayurveda, conclusão, um convite e um desafio

Em síntese, essas foram as quatro dicas práticas que eu selecionei para você com base em dúvidas bastante comuns entre meus pacientes e alunos. Existem ainda mais dicas sobre como seguir o Ayurveda de verdade na Aula 7 do curso gratuito A Essência do Ayurveda, um curso introdutório e totalmente gratuito que eu te convido a assistir.

Além de fazer esse convite, gostaria também de propor ainda um desafio: escolha um novo hábito hoje, comece a segui-lo e se observe nessa exploração: é difícil? É fácil? Seu corpo reage bem? Como você se sente? Essa exploração constante da sua realidade é sem dúvidas a coisa mais ayurvédica que você pode fazer.

Abraços e lembre-se sempre: SAÚDE É LIBERDADE!


MATHEUS MACÊDO é o primeiro brasileiro a se formar em medicina na Índia com especialidade em Ayurveda no curso BAMS (Bachelor in Ayurveda, Medicine and Surgery). Viveu na Índia quase 7 anos e de lá criou a Vida Veda, uma empresa social dedicada a divulgar o conhecimento ayurvédico em língua portuguesa. Carioca, vive em Guimarães, Portugal, e percorre o mundo dando palestras sobre Ayurveda e Medicina Integrativa.

*Os textos de nossos colunistas são de inteira responsabilidade dos mesmos e não refletem, necessariamente, a opinião de Vida Simples.


POSTS RELACIONADOS

EDIÇÃO DO MÊS

Edição 233, julho de 2021 COMPRAR

TAMBÉM QUERO COMENTAR

 

Campos obrigatórios*