COMPARTILHE
Passo a passo para começar o ano com sua casa saudável
Unsplash

Eu gosto de começar um novo ano. Depois de um pouco de descanso, gosto de parar e olhar pra tudo o que construí no ano que passou e que me fez chegar até este momento. Uma espécie de balanço afetivo. 

Observo tudo o que está ao meu redor, tanto nos ambientes onde vivo, como também dentro de mim. Percebo o que serve e o que não serve mais, coisas velhas e novas. Sentimentos, emoções, mobílias, pequenos objetos, pertences pessoais, alguns prontos para sair e abrir espaço para os que ficam, enquanto outros precisando entrar e achar um lugarzinho para se acomodar.

Pensando desta maneira inicio meu processo, que de maneira simplificada compartilho aqui com o objetivo de fazer você entender como colocar na prática essa jornada de observação, organização, desapego e conexão. E, como resultado final, um caminho aberto para poder otimizar seus ambientes do jeitinho que for melhor para você.

 

Olhar para nós mesmos

Não existe conexão com o lugar onde vivemos sem olhar para nós mesmos. A sensação de se sentir em casa começa no próprio corpo, conhecendo a nós mesmos, sabendo quem somos. Observar seu estilo de vida e entender onde você quer chegar buscando aquilo que funciona pra você. Quando temos um propósito de mudança o melhor caminho é o questionamento, cujo qual nos levará a entender em que momento nos encontramos em relação a nossa casa. 

Pense nas suas necessidades e faça a si mesmo perguntas como: quais minhas reais necessidades em relação aos espaços em que vivo? Minha casa se parece comigo? O que eu espero que essa mudança me traga? O que falta para eu me sentir em casa?

A gente precisa buscar o que funciona pra gente. Quando projetamos novos hábitos, encontramos novos desejos, rotinas e necessidades. Não tem como realizar grandes mudanças se a gente não se conscientizar do resultado que elas vão trazer pra gente. E é deste ponto que partimos para o segundo passo.

 

Trabalhar a observação

Depois de seu questionamento tenho certeza que encontrou um objetivo, e é no propósito adquirido diante da sua observação em relação às suas respostas que deve se basear. O importante nessa fase é entender que quando você coloca sua casa em ordem, também organiza suas emoções, sendo assim, você passa a distinguir com maior clareza o que faz sentido você manter a fim de alcançar o seu objetivo, e o que não faz mais sentido, deixar ir.

Algumas coisas precisam ir porque estão ocupando o espaço de outras. Quando a gente diz não para uma coisa, a gente está dizendo sim pra várias outras. Pense nisso. E é aí que tudo vai começar a mudar!

 

MAIS DE CLÔ AZEVEDO

Glamping: um lugar para renascer

Minimalismo como terapia

Qual o lar de sua imaginação?

 

Organizar 

Existem muitas formas de se organizar apresentadas por diferentes profissionais no mercado. A que acho mais simples e faz mais sentido para mim, é você separar 4 caixas, uma com itens para doação, outra para venda, outra para consertos e a última para serem descartados, sempre pensando em reciclar de forma correta. Você pode separar seus itens por categorias, como, por exemplo, roupas, livros, fotos e ir analisando caso a caso, o que você julga essencial para seu processo de destralhamento

Um processo que exigirá tempo e paciência, onde você irá diferenciar o que realmente ainda quer manter, da bagunça que será descartada.

 

Descartar com propósito

Agora é hora de dar o destino correto a cada caixa. Existem várias formas de descartar o que não nos serve mais. Você pode doar para acervos, instituições, abrigos, ou até mesmo algum amigo que esteja precisando. Você pode também renovar peças transformando algo que já está no fim de sua vida útil em algo útil, como, por exemplo, toalhinhas antigas em almofadas ou jeans velhos costurados em uma grande colcha para sua cama. 

Você também pode colocar suas peças à venda na internet, ou fazer sua doação para lugares que trabalhem com economia circular ou logística reversa. Valorize o ciclo colocando a criatividade para funcionar.

 

Otimizar os espaços 

Com seus ambientes livres dos excessos, eu garanto que você já enxergará seu propósito com mais clareza, onde, além de poder entender como utilizar melhor seus espaços de acordo com suas necessidades atuais, terá praticado o desapego de suas emoções. 

A varanda do seu apartamento pode se transformar numa área para as crianças brincar. Aquele canto do quarto que você destralhou pode combinar bem com suas práticas de mente e corpo, podendo até ganhar um altar. A sala de estar pode encolher um pouco e ficar até mais aconchegante para dar espaço para o home office. Saiba que somente quando toda casa está em ordem é que os objetos exercem seu poder.

 

Coragem

Iniciar um novo ano pede renovação, e à medida que organizamos nossa casa, organizamos nossas emoções. Quando toda essa mudança acontecer com você e sua casa, posso te garantir que tomar a decisão de trabalhar em harmonia com seu propósito e com as coisas que você deseja e acredita, vai transformar sua casa e sua vida

E você vai amar sua casa, trazendo energia positiva para essa relação, uma sensação de um lugar acolhedor que você curou e criou, um lugar onde você poderá expressar quem você é de verdade.

Experimenta!

 

*Os textos de colunistas não refletem, necessariamente, a opinião de Vida Simples. 

A vida pode ser simples, comece hoje mesmo a viver a sua.

Vida Simples transforma vidas há 20 anos. Queremos te acompanhar na sua jornada de autoconhecimento e evolução.

Assine agora e junte-se à nossa comunidade.